BACK TO BASICS

Em 12.11.2016   Beauty

Quem nunca, na vida todinha, desejou uma pele lisa, macia e o principal de tudo: saudável? Na correria do dia a dia, acabamos deixando de lado cuidados básicos e muito simples. E gente, o básico é bom, é fácil, é resultado garantido e é o princípio de tudo, é o que muita gente realmente ignora. Não adianta nada você fazer um milhão de procedimentos estéticos na pele, se você não tem um cuidado básico em casa mesmo.

back2

Nossa pele é diariamente exposta ao sol, vento, poluição e poeira! Quem vive nesse mundo lindo e gigante da aviação é ainda mais afetado devido à rotina intensa e, mulheres, pelo uso constante de maquiagem, que apesar de nos deixar lindas, é praticamente insignificante se você não tem uma pele bem cuidada.  Para que a pele possa estar sempre bonita e bem tratada, o básico é a limpeza diária.

Lavar o rosto é o conselho de beleza mais simples e a garantia de que, caso você faça isso por pelo menos duas vezes ao dia, sua pele vai sentir a diferença e vai ser logo! O melhor de tudo? É a melhor coisa pra qualquer tipo de pele, para homens e mulheres.

O objetivo de lavar o rosto é desobstruir os poros, remover o excesso de oleosidade da pele e garantir que a sujeira e a maquiagem sejam dissolvidas. Com uma pele limpa, os procedimentos de beleza ficam mais eficientes pois penetram na pele com mais facilidade. Com a lavagem diária do rosto, você evita até o surgimento (ou aumento, caso você já tenha tendência a ter) de cravos e espinhas!

Para uma limpeza eficiente, seguem abaixo umas dicas super úteis, que eu sigo a muito tempo e garanto que você vai sentir a diferença:

  • Lave o rosto duas vezes ao dia, quando acordar e antes de dormir, para retirar todo e qualquer tipo de produto e impureza da pele;

  • Use sabonetes específicos pra sua pele;

  • Água fria é a temperatura ideal pra lavar seu rosto, mas também não tem problema se for morna. Lembrando que a água quente pode acabar fazendo sua pele ressecar e até descascar!

  • Enxágue bem pra garantir que não fiquem resíduos na sua pele;

  • Use uma toalha limpa e não a esfregue no rosto, dê leve batidinhas;

Para garantir que sua pele fique linda com esse cuidado básico, é muito importante que o uso de um protetor solar seja diário. Mulherada, aqueles que vem nos produtos de maquiagem são bem fraquinhos, invistam num protetor bom pra passar antes mesmo da maquiagem! Com a pele limpa, você pode hidratá-la tranquilamente, com um hidratante facial que seja pro seu tipo de pele e você se adapte bem.

Lembrando sempre que: caso sua pele seja muito sensível, consultar um dermatologista é o mais indicado. Juntando a lavagem diária com os produtos certos, a pele saudável é uma garantia e sua felicidade também!

E você, já tem esse hábito diário? Compartilhe conosco quais são seus produtinhos favoritos!

Que tal um hostel?

Em 04.11.2016   Viagens

Acolhedores, extrovertidos e econômicos. Veja porque se hospedar em hostel pode ser uma excelente opção!

Comumente visto no Velho Continente Europeu, os Hostels ainda enfrentam um grande preconceito em terras brasileiras, onde as pessoas sofrem por medos e pela falta de confiança em estar compartilhando um ambiente de cunho particular com desconhecidos.

Muitas pessoas vivem me questionando o porquê de eu sempre escolher me hospedar em hostels em minhas viagens. A resposta é simples: Não existe experiência melhor!

hostel

A receptividade:

Seja em casal, acompanhado pela família, por amigos ou até mesmo sozinho, os hostels sempre oferecerão um ambiente acolhedor para a sua estadia. O fator resultante deste local se tornar tão agradável é devido ao “do it yourself (faça você mesmo)”, política dos hostels em que cada hóspede contribui para o bom funcionamento da “casa”, gerando assim uma reciprocidade de bons sentimentos entre as pessoas que estão ali convivendo.

A maior experiência de se hospedar em um hostel é que você irá se sentir em cada pedacinho do mundo ao mesmo tempo, devido aos diversos turistas estrangeiros que se encontrarão ali. Com isso, é uma oportunidade maravilhosa para conhecer novas culturas e pessoas e que, com certeza, vocês os levarão para sempre em suas memórias, assim como eu levo meus queridos amigos que hoje se encontram espalhados nas Américas e na Europa (saudade de todos, espero revê-los em breve nesse mundão!).

hostel2

As instalações:

Nem todo mundo sabe, mas os quartos mais comuns em hostels são os compartilhados. Há quartos exclusivamente femininos, masculinos e os mistos também, onde pode haver 4, 6, 8, 10 ou mais camas. Você também poderá optar por um quarto individual, contudo, você pagará um pouco mais caro em relação ao quarto compartilhado (mas ainda assim é muito mais em conta do que se hospedar em um hotel), mas por outro lado, terá um pouco mais de conforto e privacidade.

E a privacidade nos quartos compartilhados, onde fica? Nesse aspecto, o hostel perde um pouco para os hotéis. Como os hospedes ficarão em quartos com outras pessoas é necessário que se tome certo cuidado com seus pertences, deixando todos guardados em seus respectivos armários, evitando deixa-los espalhados pelo quarto, até mesmo por questão de higiene.

Porém, este fator não é passível para que vocês desenvolvam o complexo do medo! Se fizermos a nossa parte, mantermo-nos organizados e respeitar o espaço do outro, não tem porque dar errado!

Os hostels são como uma grande casa, onde possuem quartos, sala de estar, cozinha, banheiros, aérea social e outros cômodos mais, onde se pode aproveitar de tudo que eles fornecem, desde uma cafeteira na cozinha até mesmo curtir um som legal na piscina. Enquanto estiverem hospedados ali, aquela será a sua casa! As pessoas que estarão ali com vocês, sua família! Aproveite!

hostel3

A parte social:

Com tantas pessoas hospedadas em um só ambiente, a coisa mais provável que irá resultar disso tudo é uma FESTA! Isso mesmo, eu disse festa! Quando estamos viajando, nada melhor do que as festas promovidas pelo hostel, onde tudo é muito descontraído e informal, momento em que comemos e bebemos coisas típicas do lugar, interagimos com os hóspedes (que já se tornaram bests), e sequer nos preocupamos com o dia de amanhã!

Entretanto, no meio de tantas diversidades, sempre ouviremos coisas como: “Mas eu vou estar hospedado sozinho, não vai ter graça!”. Negativo! Quando se vai pra um hostel, ninguém fica sozinho (apenas se quiser), ou seja, deixe o medo em casa, pois, assim como você que está indo sozinho, também terá inúmeros viajantes “solo” para interagir contigo e vocês irão fazer a festa juntos, eu garanto!

Lado outro, sempre haverá também as pessoas mais reservadas, que não curtem festas e agitos. Se identificou? Relaxe, o hostel também é uma boa opção para você! Como já dito acima, os hostels possuem um ambiente onde as pessoas, acima de tudo, se respeitam. Se você não é do tipo de pessoa que curte um agito ou simplesmente não está a fim de curti-lo no momento, a sua cama estará lá, prontamente esperando por você, em seu quarto silencioso!

Além das festas, aproveite também os horários em comum para fazer novas amizades. Imaginem só, vocês, no café da manhã, comendo em uma mesa com brasileiros, chilenos, americanos, franceses, chineses e russos… A princípio vocês não terão sobre o que falar, mas o simples fato da grande diferença cultural entre vocês, aos poucos vocês vão se soltando e desenvolvendo uma conversa bacana, sendo um ótimo momento para treinar as habilidades no idioma!

hostel4

Custo x Benefício:

Não nos restam dúvidas que os hostels são as melhores maneiras para quem busca por hospedagem barata. Mas por quê? Simples! Os hostels não dispõem de inúmeros funcionários como os hotéis, onde cada funcionário é responsável por um tipo de serviço específico. O que é visado no hostel é a colaboração, reduzindo assim os custos com funcionários.

Outro fator relevante e que há que se levar em consideração é que o hospede irá dividir o quarto com outras pessoas, fazendo com que mais pessoas fiquem juntas em um só ambiente, diminuindo, por um lado, o conforto e a privacidade (mas não levem isso como um problema mortal) e aumentando, por outro, a sua economia!

hostel5

E aí, vamos nos hospedar em um hostel?

Desde hotéis muito ruins, até mesmo aos hotéis 5 estrelas, eu nunca vi nenhuma hospedagem que me oferecesse um diferencial quanto os hostels oferecem.

Mas que diferencial é este?

Sempre quando viajamos, nós aprendemos muito com as pessoas que conhecemos e o mais engraçado de tudo é que essas pessoas passam em nossos corações de uma maneira tão profunda, por apenas alguns dias, e sempre deixam algo de especial… algo que nos fará lembrar para sempre daquele lugar! Ficar em um hostel é deixar marcado para sempre a sua passagem naquele destino!

Lembro-me de uma vez em que eu estava em um luxuosíssimo hotel em Barcelona, na Espanha (assunto para os próximos posts), entretanto, estava só (o que nunca foi um problema). Durante o dia eu fazia os meus passeios e ao final, me recolhia ao hotel. Momento de pesar, eu estava ali, naquela cidade maravilhosa, porém, sozinho! Pessoas transitavam pelo saguão do hotel esbanjando riqueza e ostentando as marcas luxuosas, todavia, sequer demonstravam afeto umas com as outras.

Em outra experiência, lembro-me também de quando me hospedei em um super hostel em Santiago, no Chile (também abordarei sobre ele em um dos próximos posts), em que eu estava com um amigo, e lá nós fizemos mais um montão de bons amigos! Parecíamos pessoas que nos conhecíamos há anos! Um laço de afeto envolvia aquele lugar!

Estar em um hostel é conhecer novas pessoas, ouvir novas opiniões, e ouvir o que elas têm a nos dizer. Às vezes vivemos com algumas pessoas todos os dias, mas de um modo tão superficial ou automático, que mal temos tempo de conhecê-la verdadeiramente. Estar ali faz que com as pessoas passem por nossas vidas por uns dias, e deixe para nós um grande legado de alegria e depois, saudade!

Estar em um hostel é abrir os olhos para o novo, quebrar preconceitos, sorrir! Sorrir para o desconhecido, e ele também sorrirá para a gente!

E aí, vamos nos hospedar em um hostel?
Ítalo Melo.

Primeiros dias em Dublin

Em 03.11.2016   Viagens

Escrevi esse post no meu segundo dia em Dublin, onde ficarei por 8 meses. Não conheci muitos lugares ainda, o começo é sempre uma correria pra resolver questões burocráticas.

dublin-diariodeaviacao

Fui ao supermercado e descobri porque minha mãe andava tanto nos do Brasil, rs, tem sempre algo mais em conta, também descobri que se você não levar sacola, terá que carregar as coisas na mão (sim, carreguei na mão haha). Fui passear em um pub e descobri o que é uma pint, como pedir uma e que as pessoas aqui não se incomodam em sair sozinhas, coisas que no Brasil não fazemos muito.
Fui andar pelo centro… descobri que a gente se perde, se encontra, se perde de novo, que parar alguém e perguntar não tem problema, mas que na maioria das vezes eles também estão perdidos, que sempre tem alguém pra te ajudar, alguém que abre o gps, explica, até vai com você se possível (e que na maioria das vezes que isso acontece, são brasileiros).
img_5467

River Liffey

Cheguei ontem sentindo frio, mas me disseram que estava calor! Descobri que São Pedro brinca de festa junina aqui (olha a chuva, é mentira), percebi que o vento é constante e que nada melhor do que um lugar fechado, me assusto quase todas as vezes que atravesso a rua, me assusto quando olho pro carro e por alguns instantes penso que tem uma criança dirigindo (essa mão inglesa… rs).
Me encanto com a variedade de pessoas, com o verde que cobre toda a cidade, com o colorido do centro… Tenho saudade de casa, da família e dos amigos… Penso neles constantemente… Deito pra dormir e penso em quanta coisa fiz no dia… Deito pra dormir e penso nas pessoas que amo… Deito pra dormir e peço que continue tudo dando certo… Deito pra dormir e uma mistura de sentimentos me tira lágrimas… Deito pra dormir e imagino como será daqui um mês
fullsizerender
Ainda não deitei pra dormir e pensei que deveria estar em casa, ainda não deitei pra dormir e reclamei de algo que aconteceu… sei que isso pode acontecer e sei também que na manhã seguinte isso terá passado. Duvidas? Tenho aos montes… Mas sei que, não haverá nenhum dia sequer, que quando deitar pra dormir e pensar nas 24h vividas, não terei aprendido algo novo e crescido um pouco como ser humano.
Dublin: Verde como sempre… Intenso como nunca.
Página 1 de 1412345... 14Próximo